top of page
Glau Barros, Juliano Barros, Eder Rosa, Marcelo de Paula, Viviane Juguero e Diego Neimar e

Ori Oresteia

dramaturgia de "Ori Oresteia" foi criada por Viviane Juguero a partir da concepção original do diretor Jessé Oliveira. Ele associou a cultura afro-brasileira às tragédias "Agamenon", "As Coéforas" e "As Eumênides" de Ésquilo.
A intenção do diretor Jessé Oliveira era que o público entendesse a peça em duas camadas: de um lado, a narrativa da trajetória da família de Orestes, do outro, a trajetória da cultura negra no ocidente.
A dramaturgia de Juguero apresenta a elaboração de estruturas conectivas, a criação de músicas e a reelaboração de cenas e diálogos, inspirados nas obras originais e seguindo as diretrizes de design do diretor.
O espetáculo se apresentou no Theatro São Pedro e no Teatro Renascença, em 2016, em Porto Alegre.
A peça foi estudada nacionalmente no curso Dramaturgia Negra, ministrado por Dione Carlos, na plataforma digital Itaú Cultural, em 2018 e 2019.

bottom of page